Seção

Fique por Dentro

Mercado vidreiro se reúne para criar norma técnica para o vidro termoendurecido

Reunião da comissão será dia 08 de agosto, em São Paulo. Saiba mais sobre este tipo de vidro e como participar

07/08/2017

Amanhã, dia 08 de agosto, acontece uma das reuniões da comissão que irá elaborar os tópicos da nova Norma Técnica para aplicação do vidro termoendurecido, também chamado de semitemperado. Jotanael Souza, suplente da Diretoria Técnica da ANAVIDRO (Associação Nacional das Vidraçarias), explica que este tipo de vidro é produzido através de um processo semelhante ao do vidro temperado. “O semitemperado também passa por um tratamento térmico, que aumenta em duas vezes sua resistência mecânica. Já o vidro temperado é quatro vezes mais resistente”, afirma.

 

O vidro semitemperado ou termoendurecido é mais frágil no manuseamento e transporte. Podem ocorrer rupturas espontâneas, o que não acontece com o vidro temperado. Em caso de quebra, em comparação com o vidro temperado, forma fragmentos maiores. Suporta temperaturas de 120º contra a capacidade de 300º do temperado. Em compensação, não apresenta distorções em vidros refletivos. A semitempera não altera as propriedades ópticas e térmicas do vidro.  O vidro termoendurecido não é considerado um vidro de segurança, apenas se sua resistência for aumentada com a laminação, formando um vidro laminado com duas chapas de vidro semitemperado.

 

“A vantagem é que o vidro semitemperado não apresenta as elevadas tensões que ocorrem no vidro temperado, e as fissuras não se propagarão rapidamente. Assim, os vidros semitemperados e laminados podem ser aplicados em coberturas e fachadas, evitando com isso a ocorrência de fissuras comuns nas obras. Por ter passado por tratamento térmico, esse vidro não pode ser lapidado, cortado, polido ou lateado, estando suscetível à quebra”, diz o especialista da ANAVIDRO.

 

As reuniões, realizadas na sede da Abravidro, na Av. Francisco Matarazzo, 1752 cj 615 - Água Branca - São Paulo, são abertas e interessados em participar podem enviar um e-mail para [email protected].  (Fonte: ANAVIDRO)

Deixe seu comentário